Muito além da vaidade...
Segundo o cirurgião plástico Marcelo Daher, as pessoas que colocam prótese de silicone nas panturrilhas, por exemplo, têm complexo de perna fina, e deixam de ter uma vida normal. "Há casos de mulheres que não usam vestido em hipótese alguma. Os homens com pernas arqueadas também procuram melhorar a aparência com esse tipo de cirurgia, mas as mulheres são maioria na procura por esse procedimento, que leva, em média, menos de uma hora", conta o especialista.

Quando uma mulher se recupera de um câncer de mama, por exemplo, a cirurgia nos seios traz de volta a sua autoestima. Segundo Marcelo Daher, a plástica consegue também reparar o psicológico. "A cirurgia reparadora é aquela que devolve a função de um órgão à pessoa. Todas as outras são estéticas, ou seja, reparam a forma. Mesmo que a operação envolva o lado emocional, já que o paciente, depois que resolve o problema em seu corpo, passa a ter uma qualidade de vida melhor. É um reparo psicológico também", explica Daher.

" />
Segundo o cirurgião plástico Marcelo Daher, as pessoas que colocam prótese de silicone nas panturrilhas, por exemplo, têm complexo de perna fina, e deixam de ter uma vida normal. "Há casos de mulheres que não usam vestido em hipótese alguma. Os homens com pernas arqueadas também procuram melhorar a aparência com esse tipo de cirurgia, mas as mulheres são maioria na procura por esse procedimento, que leva, em média, menos de uma hora", conta o especialista.

Quando uma mulher se recupera de um câncer de mama, por exemplo, a cirurgia nos seios traz de volta a sua autoestima. Segundo Marcelo Daher, a plástica consegue também reparar o psicológico. "A cirurgia reparadora é aquela que devolve a função de um órgão à pessoa. Todas as outras são estéticas, ou seja, reparam a forma. Mesmo que a operação envolva o lado emocional, já que o paciente, depois que resolve o problema em seu corpo, passa a ter uma qualidade de vida melhor. É um reparo psicológico também", explica Daher.

"/>

notícias
 
Muito além da vaidade...

Casos em que cirurgia plástica contribui para a melhora da autoestima do paciente

Barriga "tanquinho", seios firmes e nádegas redondas. A maioria das vezes em que o assunto é cirurgia plástica, a vaidade é apontada como o único motivo do paciente. Porém, por trás do desejo de ter um corpo perfeito ou de "consertar" algum defeito do corpo há uma questão psicológica.

Segundo o cirurgião plástico Marcelo Daher, as pessoas que colocam prótese de silicone nas panturrilhas, por exemplo, têm complexo de perna fina, e deixam de ter uma vida normal. "Há casos de mulheres que não usam vestido em hipótese alguma. Os homens com pernas arqueadas também procuram melhorar a aparência com esse tipo de cirurgia, mas as mulheres são maioria na procura por esse procedimento, que leva, em média, menos de uma hora", conta o especialista.

Quando uma mulher se recupera de um câncer de mama, por exemplo, a cirurgia nos seios traz de volta a sua autoestima. Segundo Marcelo Daher, a plástica consegue também reparar o psicológico. "A cirurgia reparadora é aquela que devolve a função de um órgão à pessoa. Todas as outras são estéticas, ou seja, reparam a forma. Mesmo que a operação envolva o lado emocional, já que o paciente, depois que resolve o problema em seu corpo, passa a ter uma qualidade de vida melhor. É um reparo psicológico também", explica Daher.



Fonte: Prima Press
 
 



Voltar




 
Leblon | Rio de Janeiro | RJ | Tel 21 2219.4380